top of page

A importância do Batismo das crianças

O Batismo é o Sacramento pelo qual nascemos para a graça de Deus e nos tornamos cristãos. Ele confere a primeira graça santificante, que apaga o pecado original e também o atual, se o há; perdoa toda pena a ele devida;imprime o caráter de cristão; faz-nos filhos de Deus, membros da Igreja e herdeiros do Paraíso, e torna-nos capazes de receber outros Sacramentos.



Rev. Pe. Tarcísio realizando o Rito de Batismo


Por Direito o Batismo compete aos Bispos e Párocos, mas, em caso de necessidade, qualquer pessoa pode batizar, seja homem ou mulher, e até um herege ou um infiel, contanto que realize o Rito do Batismo e tenha intenção de fazer o que faz a Igreja. Se houver necessidade de batizar alguém em perigo de morte, e estiverem muitas pessoas presentes, deverá batizá-lo o Sacerdote, se lá estiver; na sua falta, um eclesiástico de ordem inferior; e, na falta deste , o leigo homem de preferência à mulher, a não ser que a perícia maior da mulher ou a decência exijam o contrário. E é imprescindível que aquele quem batiza tenha a intenção de fazer o que faz a Santa Igreja ao batizar.


No Batismo deve ser utilizada a matéria de água natural, que se derrama sobre a cabeça do que é batizado, de maneira que escorra, enquanto o Ministro diz a fórmula: Eu te batizo em nome do Pai e do Filho e do Espirito Santo. Se acaso não puder ser derramada a água sobre a cabeça, que seja sobre qualquer outra parte principal do corpo. Se alguém derramasse água , e outro proferisse a fórmula, a pessoa não ficaria batizada; é necessário que a mesma pessoa que derrame a água seja aquela que diz as palavras. Quando não se tem certeza de que uma pessoa está viva ou morta, deve-se batizá-la sob condição, dizendo: Se estás vivo, eu te batizo em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.


As crianças devem ser levadas à Igreja para serem batizadas o mais cedo possível. Deve-se ter uma presteza em leva-las a este Santo Sacramento porque elas, em sua mais tenra idade, estão expostas a muitos perigos de morrer, e não podem salvar-se sem o Batismo. Os pais e mães que pela sua negligência deixam morrer os filhos sem batismo pecam gravemente, porque os privam da vida eterna; e pecam também gravemente se postergam por muito tempo o Batismo, porque os expõem ao perigo de morrer sem o terem recebido. Hoje, por causa do relativismo, temos uma sensibilidade muito grande em relação a este tema. As pessoas fabricaram uma crença que basta ser bom para ir ao Céu. Não é tão fácil assim! Não basta ser bom. É preciso ser Cristão. As Sagradas Escrituras são claras em relação a importância dos Sacramentos, sobretudo do Batismo, à qual o próprio Cristo, que é Deus, se submeteu ao mesmo sob a profunda admiração de São João Batista. Pelo belíssimo evento do Batismo do Senhor, onde a Santíssima Trindade se manifesta, podemos perceber que este Sacramento não deve de forma alguma ser negligenciado, uma vez que é o nosso ingresso para o grêmio da Santa Igreja, único caminho para o Céu. Os recém nascidos não batizados não vão ao inferno, pois não cometeram pecados voluntariamente, mas pela mancha do pecado original não podem ter a visão beatifica, portanto ficam no Limbo, que é lugar de alegria eterna, porém, não é a eterna bem aventurança dos batizados. Por isso, o apelo firme dos Papas ao ordenarem aos pais, que batizem seus filhos o quanto antes.


O Batismo é absolutamente necessário para a salvação, porque o Senhor disse expressamente: "Quem não renascer na água e no Espirito Santo não poderá entrar no Reino dos Céus." A falta de Batismo só pode ser suprimida pelo martírio, que se chama Batismo de Sangue, ou um ato de amor perfeito a Deus, ou de contrição, junto com o desejo ardente de receber o Batismo, este ato chama-se Batismo de Desejo. Quem recebe o Batismo, fica obrigado a professar a Fé e a observar a lei de Jesus Cristo e da Sua Santa Igreja, renunciando a Satanás e todas as suas obras e pompas, que são o pecados e máximas do mundo, contrários ao do Santo Evangelho.


Pequena criança sendo batizada nos Saletianos

Aqueles que se batizam impõem-se um nome de um Santo, a fim de que estejam sob a especial proteção de um padroeiro celeste e para o animar a imitar-lhe os exemplos. Os padrinhos e as madrinhas de Batismo, à disposição da Igreja, seguram as crianças junto à pia Batismal, respondem por elas e ficam responsáveis diante de Deus , pela sua educação Cristã, especialmente se vieram a faltar os pais. Os batizados são obrigadas a cumprirem as promessas que por eles fizeram seus padrinhos, porque foi por essas condições que Deus nos concedeu as graças. Por isso, devem se escolhidos para padrinhos e madrinhas, pessoas Católicas e de bons costumes, observantes das Leis da Igreja. Assim como os afilhados devem ter para com os Padrinho e Madrinhas respeito e piedade filial, os padrinhos e madrinhas devem cuidar para que os afilhados sejam instruídos nas verdades da Fé e vivam como bons cristãos, edificando-os com o bom exemplo. Através do Sacramento padrinhos e batizados contraem parentesco espiritual e o mesmo origina impedimento para o Matrimônio com o mesmo.


É conveniente também, que os pais, observem se o Rito do Batismo foi realizado de forma completa, com todos os exorcismos do rito Tradicional. Caso, notem alguma diferença ou estranheza no modo que seus filhos foram Batizados, procurem Sacerdote confiáveis para verificarem se o Sacramento foi realmente válido. A Fraternidade Ordem da Mãe de Deus está disponível para retirar as vossas dúvidas, entre em contato conosco.





Baseado no Catecismo Romano e Catecismo Maior de São Pio X










Comments


bottom of page