top of page

Santificação de Domingo

A Santificação de Domingo é um preceito do terceiro Mandamento dado por Deus desde Adão, confirmado ao PAtrairca Moisés e elevado em sua excelência por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.


Rev Padre Tarcísio e o acólito Igor


Todos os Católicos em dia de Domingo, segundo manda os Mandamentos da santa Igreja, devem asssitir a Missa inteira e com devoção e se possível, confessar e comungar nesse dia.

Mas, mediante a devassa crise de Fé que assola das Dioceses no mundo inteiro após o CVII, muitos fiéis não tem mais acesso a Santa Missa ou ainda a validade dos Sacramentos em suas Paróquias muitas vezes são duvidosas. Dessa forma, não havendo a Santa Missa que é o meio excelente de santificação, os fiéis devem procurar por todos os meios Santificarem o Domingo com orações e obras de misericórdia.


Conforme narra as Sagras Escrituras, na obra da Criação, ao sétimo dia, Deus descansou (Genêsis, Cap II, vers. II - III). Ora, Deus não precisa de descanso, portanto, esse descanso descrito era para dar exemplo ao homem da vontade de Deus, que ordena seis dias pra que o homem trabalhasse, mas um dia deve ser dedicado para a Glória de Deus. Esse preceito é reafirmado ao Patriarca Moisés, no Monte Sinai, quando Deus lhe confere o Decálogo e em uma das Sagradas Leis, ordena o dia de descanso para se dedicar a Deus, que era o sábado. Nosso Senhor Jesus Cristo no entanto irá nos ensinar que o sábado foi feito para homem e não o homem para o sábado. (Evangelho de São Mateus, Cap. II)


A Antiga Aliança era apenas um vislumbre e preparação da Nova e eterna Aliança que nos viria por meio de Nosso Senhor Jesus Cristo, Nele está o ápice e a perfeição da Lei. Por isso não há melhor maneira de dar Glória a Deus que oferecendo o Sacríficio de seu Diletíssimo Filho. Como Nosso Senhor foi glorificado por meio de sua Triunfante Ressurreição em dia de Domingo, portanto este torna-se o nosso dia de descanso e dedicação a Ele. A Nova Aliança tem autoridade sobre a Antiga Aliança, portanto é mister que esse dia seja mudado para que sendo Glorificado o Filho, também seja Glorificado o Pai, conforme Cristo mesmo nos ensinou. É preciso tomar cuidado com algumas seitas modernas que estão visando aurduamente o retorno aos preceitos da Antiga Aliança, lhe dando uma roupagem herética, essa tática não visa a Glória de Deus e sim o extermínio do cristianismo no coraçaõ das novas gerações, único meio pelo qual podemos nos salvas. Cristo nos ensiso ontudo se não há uma Santa Missa que podemos ir com confiança de que teremos acesso aos Sacramentos em conformidade com a Santa Tradição Católica e a Sã Doutrina, devemos Santificar o Domingo por meio de orações salutares e obras de misericórdia.

Este ato será ainda mais meritório se for realizado em família ou em grupos de Católicos com a mesma determinação de dar a Deus a Glória que Ele merece.


A Fraternidade Ordem da Mãe de Deus com o interesse de auxiliar as famílias nessa Santificação, oferece um encarte simples de Santificação, contendo as orações que devemos fazer nesse dia. Você pode acompanhar o Santo Rosário e as orações devidas ao Domingo em nossa Programação de Domingo pela manhã e após o Ângelus da tarde. o download está à disposiçaõ ao final desse artigo. Em breve teremos o Devocionário completo com todas as orações.


Deixamos aqui também uma importante admoestação do Grande São Cura D'Ars sobre o Santo Domingo.


Vós trabalhais, trabalhais, porém, o que ganhais vos arruína a alma e o corpo. Se se

perguntasse a esses que trabalham no Domingo: “Que é que acabais de fazer?”, eles

poderiam responder: “Acabo de vender meu burro ao demônio, de crucificar Nosso Senhor e de renunciar ao meu batismo. Vou para o inferno... Terei que chorar toda uma eternidade

por um nada...” Quando eu vejo uns que carregam no Domingo, penso que carregam a

sua alma para o inferno.


Oh! Como se ilude nos seus cálculos aquele que se afana no Domingo, com o

pensamento de que vai ganhar mais dinheiro ou fazer mais trabalho! Acaso um pouco mais de dinheiro poderá compensar o dano que ele causa a si próprio, violando a lei de Deus? Vós imaginais que tudo depende do vosso trabalho; vem, porém, uma doença, um acidente... É preciso tão pouca coisa! Uma tempestade, uma chuva de granizo, uma geada. Deus tem tudo nas mãos; pode vingar-se como quiser; meios não lhe faltam. Não é sempre ele que é o mais forte? E não deve ele permanecer o senhor no fim?


Havia uma vez uma mulher que viera procurar o seu vigário e lhe pedir licença para

apanhar o seu feno no domingo. “Mas, diz-lhe o vigário, não é necessário; o vosso feno

não corre risco algum”. A mulher insistiu, dizendo: “O Sr. quer então que eu deixe morrer

a minha colheita?” Foi ela quem morreu à tarde mesmo... Ela estava mais em perigo do

que a sua colheita... Trabalhai, não para a comida que perece, mas para a que dura para a vida eterna (Jo 6, 27). Que vos rende o haverdes trabalhado no domingo? Deixais bem a terra tal qual é quando vos ides embora; não levais nada. Ah! Quando se está apegado à terra, não é bom ir-se dela!...

O nosso primeiro fim é ir para Deus; só estamos na terra para isto.

Meus irmãos, deveríamos morrer no Domingo e ressuscitar na segunda-feira.


O domingo é o bem de Deus; é o dia DEle, o dia do Senhor. Ele fez todos os dias da

semana; podia reservá-los todos para Si; deu-vos no entanto seis e reservou para Si

apenas o sétimo. Com que direito tocais naquilo que vos não pertence? Sabeis que o

bem roubado nunca aproveita. O dia que roubais ao Senhor tão pouco vos aproveitará.

Conheço dois meios bem seguros de se ficar pobre: trabalhar no domingo e tomar o bem

de outrem.




Rádio Saletiana

A Tradição Católica em sua casa



Santificação de Domingo
.pdf
Download PDF • 715KB

173 visualizações

Komentáře


bottom of page